1699607 0089
1299670 7222
1298316 0000


Empresas têm dificuldade para achar profissionais qualificados


Pesquisa da Robert Half, empresa de recrutamento e seleção de cargos de média e alta gerência, mostra que quase 60% dos recrutadores têm enfrentado algum nível de dificuldade para encontrar profissionais qualificados. Destes, 46% avaliam a tarefa como difícil e 13% a classificam como muito difícil. E, nos próximos seis meses, 69% dos entrevistados acham que a situação estará igual.

A pesquisa, que traz um recorte com perguntas sugeridas pelo G1, mostra ainda que 69% dos entrevistados não contrataram profissionais com mais de 50 anos em 2019. O principal fator são os altos salários.

A pesquisa foi realizada entre 2 de julho e 2 de agosto.

Os dados fazem parte da 9ª edição do Índice de Confiança Robert Half, estudo trimestral que mapeia o sentimento dos profissionais qualificados com relação ao mercado de trabalho atual e futuro.

Veja abaixo os resultados da pesquisa:

Contratar profissionais qualificados hoje está:

 

 

 

  • Difícil: 46%
  • Normal: 20%
  • Muito difícil: 13%
  • Fácil: 17%
  • Muito fácil: 4%

 

Nos próximos 6 meses, você acredita que contratar profissionais qualificados estará:

 

 

 

  • Igual: 69%
  • Um pouco mais difícil: 18%
  • Um pouco mais fácil: 7%
  • Muito mais difícil: 4%
  • Muito mais fácil: 2%

 

Quais são as três habilidades mais observadas ao recrutar para funções plenas e sêniores?

 

 

 

  • Trabalho em equipe/relacionamento interpessoal: 50%
  • Experiência: 48%
  • Pró-atividade: 40%
  • Boa comunicação: 32%
  • Olhar estratégico: 32%
  • Postura de dono: 28%
  • Flexibilidade: 22%
  • Habilidade de negociação: 19%
  • Perfil empreendedor: 13%
  • Estabilidade: 7%
  • Inglês: 6%
  • Outro: 2%

 

Você contratou um profissional sênior (+50 anos) em 2019?

 

 

 

  • Não: 69%
  • Sim: 31%

 

Quais os principais benefícios de contratar um profissional sênior (+50 anos)? Pode marcar mais de uma opção.

 

 

 

  • Experiência/bagagem corporativa: 86%
  • Conhecimento: 66%
  • Resiliência/inteligência emocional: 43%
  • Contribuição para a diversidade da organização: 30%
  • Outro: 2%

 

Quais os receios de contratar um profissional sênior (+50 anos)? Pode marcar mais de uma opção.

 

 

 

  • Alto salário: 31%
  • Não há receio: 21%
  • Pouca flexibilidade: 18%
  • Profissional desatualizado: 12%
  • Ampliar o conflito de gerações no ambiente de trabalho: 7%
  • Outro: 13%

 

Excesso de mão de obra sem qualificação

 

 

De acordo com Leonardo Berto, gerente de recrutamento da Robert Half, existe um excesso de mão de obra sem qualificação e ao mesmo tempo falta de mão de obra especializada. “Profissionais que trabalham em funções operacionais, como aqueles ligados à construção civil, setor automotivo, indústria e infraestrutura, foram os mais impactados pelo momento econômico ruim”, analisa.

Por outro lado, segundo ele, as empresas sentem falta de profissionais especializados, principalmente quando se trata do domínio de novas tecnologias e de educação continuada, ou seja, o aprofundamento em determinada área, fluência em outro idioma, certificações e desenvolvimento técnico e pessoal dentro da carreira.

Questionado sobre como os recrutadores lidam com o excesso de mão de obra causado pelo alto índice de desemprego atual e ao mesmo tempo com a falta de mão de obra especializada, ele afirma que uma saída utilizada pelas empresas é identificar profissionais com um perfil aproximado ao da vaga aberta e trabalhar no desenvolvimento das competências que faltam.

“É claro que isso demanda tempo e investimento da organização, que deve estar disposta a treinar o profissional. Além disso, existem posições nas quais não é aplicável, pois determinadas competências específicas são essenciais”, explica.

Apesar de a pesquisa mostrar o alto índice de recrutadores que não contrataram profissionais com mais de 50 anos neste ano, Berto afirma que o aproveitamento de profissionais sêniores tem sido sim uma das alternativas encontradas pelas empresas para suprir a lacuna de mão de obra especializada.

“Já vemos essa tendência aplicada nas empresas, que estão abrindo espaço para profissionais com 50 anos ou mais. Existem muitas pessoas altamente qualificadas nessa faixa etária, e as empresas estão aproveitando sua maturidade e resiliência. O receio das empresas fica por conta dos altos salários, a possível falta de atualização ou adaptação ao modelo e cultura da companhia”, diz.

Berto afirma que, para ajudar na sua reinserção no mercado, muitos profissionais sêniores estão optando por trabalhar por projeto. “Assim, a empresa utiliza o conhecimento técnico e comportamental desse profissional e eles podem aproveitar a oportunidade como uma porta de entrada para reingresso no mercado de trabalho.”

Questionado se as empresas estão adequando o orçamento, com redução nas remunerações, por causa do cenário econômico incerto, Berto diz que esse cenário já passou. “O momento de cortes e redução de salários e cargos aconteceu em 2014, 2015 e 2016. Hoje, o cenário das empresas é de estabilidade de cargos, com tendência de crescimento em setores e carreiras específicos, como posições ligadas à área de tecnologia, engenharia, marketing digital e supply chain, por exemplo”, afirma.

G1



Aline tatiane da silva moura diz:
Celso sou sua fã ..queria muito te conhecer ..não perco um domingo legal ... mais recados Deixe seu recado!

A rádio  |  Promoções  |  Programa Celso Portiolli  |  Notícias  |  Enquetes  |  Contato  |  Anuncie na Ótima FM
Ótima FM 90,3
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP
(12) 3923-4509
1298316 0000
Ótima FM 95,5
PINDAMONHANGABA/SP
(12) 3522-5470
1299670 7222
Ótima FM 89,1
BRODOWSKI/SP
(12) 3522-5470
1699607 0089

Baixe o app da Ótima FM no seu aparelho